quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

O teatro de marionetas no panorama teatral português:: Breves considerações


O teatro de marionetas no panorama teatral português
Breves considerações

Por Filipa Mesquita

Muito foi feito, muito está por fazer.
Ao nível nacional existem diversas estruturas dispersas de norte a sul do país, estruturas profissionais nas quais se deparam distintas formas e abordagens ao objecto animado.
Existe ainda uma ampla possibilidade de comunicação entre marionetistas, diversos festivais que se pautam por possibilitar a mostra de espectáculos a nível nacional bem como a nível internacional.
A abordagem à marioneta é executada de distintos modos, quer seja de um modo clássico, mais tecnicista ou ainda performativo e contemporâneo, explorando os desenvolvimentos tecnológicos que este século nos permite.
Existe uma franja dedicada ao teatro de marionetas voltado para a infância, sendo possível ainda apresentar o trabalho desenvolvido teatralmente com as marionetas, para um público adulto, o que ao olhar mais desatento poderá parecer superficial, no entanto tendo em consideração a evolução da história da marioneta em Portugal, é um facto digno de salientar.
Estas conquistas obtidas pelo teatro de marionetas ao longo destes últimos 40 anos permitiram a sua consolidação como técnica ou recurso teatral que emerge na cena naturalmente , da necessidade da comunicação  com o público.
Existe no entanto a falta da consolidação nas nomenclaturas, das diferenciação nas distintas técnicas de manipulação, bem como ao nível bibliográfico e ao nível da construção da história da marionetas, estamos muito longe de poder obter material escrito e documentado sobre estas matérias.
Deste modo e numa série de documentos tentarei lançar pistas, ideias e ponderações sobre o modo como o teatro de marionetas, não só através da sua aprendizagem e abordagem a técnicas, além da tentativa de clarificação de factores históricos e de apoio de nomenclaturas que, nos podem permitir a sua aproximação ao público, bem como aos que tentar usar esta técnica como abordagem teatral.

6 -12 - 2012

Sem comentários:

Enviar um comentário