sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Raul Constante Pereira

Foi em Évora, em 2011, que assisti pela primeira vez à representação de Raúl Constante Pereira, algo começa de modo distinto fazendo lebrar algumas pinturas e iluminuras, onde sobre uma prancha duas marionetas suspensas por um fio comum presas à perna do bonecreiro fazem uma dança enamorada acompanhadas por um instrumento de cordas tocado pelo bonecreiro.

A peça apresentada foi o "barbeiro diabólico". Nas imagens estão presentes, Dom Roberto e a morte.

A nota de várias guaritas alinhadas perfilarem uma tarde magnífica.





Sem comentários:

Enviar um comentário