sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Raul Constante Pereira

Foi em Évora, em 2011, que assisti pela primeira vez à representação de Raúl Constante Pereira, algo começa de modo distinto fazendo lebrar algumas pinturas e iluminuras, onde sobre uma prancha duas marionetas suspensas por um fio comum presas à perna do bonecreiro fazem uma dança enamorada acompanhadas por um instrumento de cordas tocado pelo bonecreiro.

A peça apresentada foi o "barbeiro diabólico". Nas imagens estão presentes, Dom Roberto e a morte.

A nota de várias guaritas alinhadas perfilarem uma tarde magnífica.





quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Francisco Mota e um espólio a descobrir.

Quem dos Robertos não conhece Francisco Mota.

Gostaria primeiro de dar a conhecer a fantástica exposição a que assisti, na Maia dedicada ao Teatro Dom Roberto.

Francisco Mota tem em sua propriedade o espólio e os bonecos originais de diversos bonecreiros tradicionais, assim como uma vasta documentação bibliográfica e um espólio fotográfico muito inteteressante.

Falarei mais desta exposição em detalhe em outros posts.







quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Homens dos Robertos

Encontro de Robertos em Alcobaça 2010 - Foto Filipa Mesquita
(da esq. para a dir. Rui Sousa (Santa Maria da Feira), Jorge Soares (Algarve), José Gil (Alcobaça), Nuno Pinto (Sintra)



terça-feira, 28 de agosto de 2012

Os Robertos de Jorge Soares

Jorge Soares é um bonecreiro que utiliza a sua própria aproximação ao Roberto, exímio manipulador, narra na sua barraca, que nos lembra, as barracas de praia, amores e desamores de Dom Roberto.
Os bonecos têm uma expressividade acentuada, e o seu rosto, num rosa suave é inconfundível.
Uma verdadeira delícia para os mais pequenos.

A história a que pude assitir está muito próxima do "castelo dos fantasmas", sem o espaço cénico.









domingo, 26 de agosto de 2012

José Gil e o Dom Roberto

José Gil é sem dúvida um dos grandes bonecreiros de Dom Roberto, quer seja na manipulação dos seus pequenos Robertos, quer na promoção e divulgação desta forma tradicional de representação com marionetas ao nível nacional e internacional.
Tem permitido e tem dado a conhcer o seu e o espólio de outros bonecreiros tradicionais. Através dos encontros por si promovidos,realizados ainda por outras companhias, tem sido possível observar os bonecreiros tradicionais portugueses em actuação.

Aqui ficam as Imagens de um desses encontros, realizado em Alcobaça, pela Companhia de José Gil, a S.A. Marionetas, onde se apresenta " O Castelo dos fantasmas" e a "tourada à portuguesa", bem em frente ao Mosteiro de Alcobaça.
As fotografias foram tiradas por mim, Filipa Mesquita em Outubro de 2010, aquando mais um "Encontro Marionetas na Cidade"
Os bonecos possuem a cabeça em madeira, onde predomina o rosa forte, ligeiramente achatada no topo, a barraca feita de chita de Alcobaça, com cerca de 80 cm de largura e profundidade

Aqui vemos o castelo com duas entradas, uma janela em dois níveis.
A princesa
Dom Roberto
crocodilo
gigante
fantasma
diabo

















sábado, 25 de agosto de 2012

Nuno Pinto e as histórias com Robertos

O Nuno Pinto trabalha muito bem os Robertos, não fora a dificuldade de domínio da palheta e seria um bonecreiro completo. Aqui fica o repto para que coloque a palheta.

Deixo-vos algumas imagens do Encontro de Roberto que decorreu em Alcobaça a 16 - 10 - 2010 acerca dos fantoches de Nuno Pinto.

A barraca do Nuno Pinto é acentuada pelos tons castanhos e os seus fantoches caracterizados pela cabeça esferica, de rosa forte . As histórias a que pude assistir foram a tourada à Portuguesa com os toureiros e o touro e uma versão do " Castelo dos ´Fantasmas"", onde entram a princesa, dom Roberto, o fantasma, o gigante, o crocodilo e o diabo.

Nuno Pinto e José Gil









sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Os Robertos de Rui Sousa

Os fantocheiros, conhecem a minha paixão pelos Robertos.

Há já alguns anos que os acompanho tentando observar a maravilhosa dança dos grosseiros bonecos de pau, que tão catárticos, expõem os nossos mais violentos desejos.

Marionetas de Rui Sousa
Fotografias tiradas no Pácio de Cristal dia 29-08-2010 por
Filipa Mesquita
em destaque: cena do Barbeiro, com Dom Roberto, o Barbeiro, O Padre, O polícia O Diabo e a Morte

Rui Sousa trabalha principalmente duas cenas, a do Barbeiro e a da Tourada, a sua aprendizagem vem do bonecreiro José Gil, sendo que os fantoches de Rui Sousa , construídos por si, cracterizam-se pela sua maior dimensão, escultura expressiva e cores fortes e acentuadas, predominando o rosa forte como tom de pele.